Para vencer fake news, especialista europeu aposta em mais cooperação e menos acionamento da Justiça

Os efeitos nocivos provocados por notícias falsas – as chamadas fake news – têm gerado uma preocupação cada vez maior das autoridades. Tanto que o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, afirmou, nesta quinta-feira (21), que eleições poderiam ser canceladas se o resultado fosse influenciado por publicações mentirosas em massa.

Esta foi a primeira declaração da Justiça eleitoral neste sentido. A frase se deu em meio a um seminário internacional para debater o assunto, com a presença da Delegação da União Europeia no Brasil. Entre os convidados para compartilhar com o Brasil experiências sobre como enfrentar a epidemia de inverdades está Christophe Leclercq.

Formado em ciências políticas, o francês de 55 anos é um dos 39 especialistas que integram o “High Level Expert Group on Desinformation”. É um grupo criado na Comissão Europeia para elaborar políticas e iniciativas de combate à desinformação online. Ele é fundador do Euractiv, um portal especializado em notícias sobre políticas públicas europeias.

Leclercq fala sobre a urgência em criar mecanismos internos a fim de impedir a propagação de mentiras e afirma que o Judiciário deve evitar ser acionado para decidir sobre o assunto. Outro ponto que ele destaca é a importância de fortalecer o fact checking — a checagem, por jornalistas, das informações que circulam na web.